CAPACITAÇÃO ELEMENTAR DE COACHES


access_time Carga Horária
16 horas, sendo 12 expositivas e 4 vivenciais (cases, experimentos)

event_note Investimento
Alternativas de valor e condições básicas, flexível a adequações  R$ 480,00 em até 3x R$ 160,00 ou R$ 420,00 (à vista).

(*) Programa elementar de coaching

Três sessões (virtuais) de 50’ por R$ 157,00 cada (valor simbólico), 2 p/semana.

mode_edit Inscrição
Pelo whatsapp: (21) 9.7123-5705
e-mail: contato@institutoveralem.com.br
ou aqui no site:

Propósito


Exibir e demonstrar os principais pré-requisitos, metodologia e fases de um processo de coaching, visando ativar em candidatos/as a coaches as capacidades necessárias à apoiarem coachees em busca de evolução pessoal (life coaching) e/ou profissional (carreira). Notar a diferença entre Capacitação x Formação.


Público Preferencial


Profissionais e entusiastas da área de saúde mental que possuam reconhecida sensibilidade, aptidão e plasticidade mental e atitudinal para facilitar pessoas a atingirem seus anseios pessoais / funcionais. Turmas variando de 6 (seis) a 12 (doze) pessoas, em função da proposta andragógica interativa fundamental.


Pre-requisitos


  • Gostar de e identificar-se com pessoas (empatia) e suas demandas.
  • Ter vivenciado o processo de coaching como coachee(*).
  • Demonstrar saber e querer praticar a escuta ativa.
  • Ser capaz de assumir postura interrogativa junto aos coachees.
  • Saber diferenciar coaching de terapia ou aconselhamento, evitando-as.
  • Comprometer-se com as demandas capacitadoras nos prazos pactuados.
  • Cumprir fase pré-qualificatória(**) proposta para melhor aproveitamento.

(*) Programa elementar de coaching

Caso o/a candidato/a não possua a vivência em questão, este Programa disponibiliza uma seqüência de 3 (TRES) encontros (presenciais ou virtuais) de 50’ cada um, a fim de cumprir o pré-requisito posto. A respectiva remuneração simbólica a combinar é sugerida no tópico “Investimento”, logo adiante.

(**) Fase Pré-qualificatória

Com caráter não necessariamente eliminatória, consiste num exame prévio de intenções, aptidões, qualificações e concordâncias requeridas para a participação no Programa para o conseqüente domínio de competências para o coaching. Usualmente salienta itens comportamentais a serem revisados e otimizados.


O que é e o que não é Coaching


A cada dia mais se fala ou busca no mundo os serviços de coaching, função da sempre crescente demanda do mercado e da sociedade por pessoas/profissionais multifuncionais, ao mesmo tempo saudáveis moral, mental e fisicamente. Empresas e indivíduos percebem no coaching o caráter estratégico para o aumento da criatividade, produtividade, satisfação e lucratividade em seus nichos de atuação. O Coaching NÃO É tratamento psicológico (equacionar sofrimentos, reestruturar personalidade) ou aconselhamento terapêutico.

O trabalho é caracterizado por movimentos interativos que levam o protagonista a refletir, escolher, decidir e executar ações que, a partir de um claro propósito (de vida) o aproximem de suas metas, através da potencialização de seus talentos e aptidões que maximizem seu desempenho e conseqüentes resultados.

Segundo o Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), é um processo de desenvolvimento humano que usa técnicas de administração de empresas, gestão de pessoas e do universo do esporte visando apoiar pessoas e organizações no alcance de metas, no desenvolvimento acelerado e em sua evolução contínua.

Vinda do inglês medieval, diferente da popular interpretação “treinamento”, a palavra coaching faz alusão a “carruagens” e por isso sugere “a ação de levar ou transportar” pessoas a saírem de seu “estado atual” e alcançarem seu “estado desejado”. Este conceito emerge nos EUA antes do início da década de 1980, sob a égide de “jogo interno” (para tenistas profissionais), como solução para a superação das discrepâncias entre as limitações emocionais destes atletas em comparação com suas elevadas habilidades técnicas. Este desequilíbrio abreviava ou encerrava muitas carreiras.

Semelhantemente, foi percebido o fenômeno entre executivos do âmbito empresarial, justo quando se iniciava a mencionar a importância da inteligência emocional (QE), não apenas a então reinante inteligência intelectual (QI).

Nascem aí as diversas vertentes do coaching tais como: de vida, de casais, executivo, carreira, equipes, marketing, negócios, finanças, etc, etc.

Como toda inovação, houve preconceitos, resistências e equívocos interpretativos de sua validade ou alcance. Hoje em dia, longe de ser um luxo ou vínculo de dependência, parece um paradoxo que num mundo cada vez mais inundado de informações de fácil acesso (internet), seja tão necessária uma parceria que ajude o indivíduo a se posicionar devidamente neste oceano de possibilidades, ora afável, ora hostil, sempre desafiador.

Enfim, a formação tradicional em RHs (ainda) prepara profissionais para que os clientes sejam passivos, isto é, pacientes. Já o coaching os envolve no processo e faz com que participem nas tomadas de decisões. Foi-se o tempo do individualismo, do profissional isolado ou da pessoa que se basta a si. Melhor é serem dois...(sabedoria citada no livro de Eclesiastes 4:9_Bíblia Cristã).


Didática on board


Eminentemente interativos, os encontros se desenvolvem através de exposição áudio-visual dialogada e atividades dinâmicas contributivas para a ativação da assertividade, objetividade, carisma, credibilidade, voz, ritmo de fala, empatia, conexão com a audiência, estruturação de raciocínio e gerenciamento de emoções. Tudo isso com o objetivo de despertar excelência e alta performance individual na comunicação, fator vital na prática do coaching.

Na específica percepção deste autor, há uma equação fundamental a ser observada. Chamada de 3Ps, se desenvolve na seguinte ordem, exatamente contraria ao observado no dia a dia convencional, a saber:

Onde:

Propósito = meta primordial, motivos que a justificam, benefícios pessoais e a 3os.

Pessoalização = características de personalidade, melhores canais de aprendizagem.

Processos = Planejamento > Projeto > Preço > Prazos > Plano > Práticas < < 6 ps.


Critérios para acreditação(atestado de aproveitamento)


Como fase final deste módulo do Programa, o candidato/a a COACH, além de apresentar “Manifesto de Aproveitamento”, deverá participar de “Entrevista de Proficiência Mínima” necessária para a prática do coaching, a ser realizada junto a docente/profissional designado para tal finalidade.

Serão fornecidos Certificados de Participação (todos) ou Certificados de Capacitação (aos aprovados via critério acima), este último visando garantir qualidade de serviços a serem prestados pelo recém capacitado.